Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carta à Berta

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta: Trump - "Uma luta dos diabos"

Berta 436.jpg

Olá Berta,

Amanhã, já nesta quarta-feira, juntam-se nos Estados Unidos da América a Câmara dos Representantes e o Senado numa sessão conjunta do Congresso. Esta será a sessão de validação final da vitória de Biden. Donald Trump quer que a eleição seja invalidada. Tudo aponta que sofra mais uma derrota nas suas reclamações e ambições, mas vamos ter de esperar para ver.

Entretanto, hoje, há eleições na Geórgia, para eleger os dois últimos representantes, que ainda faltam apurar, para o Senado. Se os dois democratas ganharem nas urnas e forem eleitos os republicanos perdem o controlo do Senado e Biden terá uma presidência bem mais facilitada.

Contudo, e apesar de parecer não haver mais volta a dar aos resultados gerais das eleições americanas, Donald Trump continua a afirmar publicamente que vai ser “uma luta dos Diabos” para que ele mantenha a presidência. Há dois dias, num Comício na Geórgia, a propósito da eleição dos dois representantes desse Estado, para o Senado, Donald Trump pediu publicamente ao Congresso para não retificar a votação do Colégio Eleitoral, que confirmou Biden como o vencedor das eleições americanas.

Estamos, portanto, à beira de descobrir se esta inacreditável sede de poder de Trump termina na quinta-feira ou se ainda haverá novos capítulos na novela da Casa Branca.

Infelizmente, entre os protagonistas mais ativos, nesta novela no apoio a Trump, há um lusodescendente, o Senador Ted Cruz, do Texas, o qual já se tenta perfilar de novo como candidato às próximas presidenciais americanas. Algo me diz que ainda vamos ouvir falar muito mais deste sujeito nos próximos anos. Só espero que se mantenha longe do país dos seus progenitores e de André Ventura, se é que tem mesmo ascendência portuguesa. Não é mesmo nada necessária a intervenção de cowboys do Texas nas pradarias políticas portuguesas.

Todavia, esta ligação de Ted Cruz à Lusitânia levanta-me sérias dúvidas, embora seja confirmada num artigo do dnoticias.pt de hoje, que divulga uma publicação da Agência Lusa, que, também ela, apresenta o indivíduo como sendo lusodescendente. Pelo que investiguei os pais de Ted Cruz são uma americana e um cubano e não encontrei qualquer laço ou ligação do senhor a Portugal. Será que a Lusa já não confirma as suas fontes?

Por hoje é tudo, minha querida Berta. Despede-se com carinho, este teu amigo, sempre ao teu serviço para o que for necessário, com todas as saudades do mundo,

Gil Saraiva

 

 

 

Carta à Berta: Série: Quadras Populares Sujeitas a Tema - 9) O Seu a Seu Dono

Berta 102.jpg

Olá Berta,

Hoje estou horrorizado com o que ouvi nas notícias, um padre americano de Rhode Island diz que “ao contrário do aborto a pedofilia não mata”. Em primeiro lugar, muitos pedófilos matam efetivamente as suas vítimas, em segundo lugar, a comparação para defender o não ao aborto é tão descabida e despropositada, que apetece perguntar ao reverendo Richard Bucci, o clérigo que a proferiu, o que é que ele acha que a pedofilia faz:

Será que, como dizia Raúl Solnado na sua paródia sobre a guerra, “não mata, mas desmoraliza muito”? Ou, em alternativa, será que o padre responderia que “o que não mata engorda”? Quando te digo, amiga Berta, que anda tudo louco é porque penso realmente que se perdeu o bom senso. Nos Estados Unidos da América, com o Presidente Donald Trump a dar o exemplo sobre onde consegue chegar a cretinice, talvez não seja para nos admirarmos de ouvir um vigário dizer o que disse.

Pior que tudo é o ar natural como o infeliz padre (para não usar uma expressão mais contundente) proferiu para as câmaras de televisão a afirmação. Falava com uma naturalidade como se estivesse a anunciar as recém-lançadas hóstias sem glúten, recentemente adotadas pela igreja católica e à disposição dos fiéis que as requisitam para a sua comunhão.

Às vezes penso que sou eu que já não consigo acompanhar os sinais do tempo. Mas depois recuo nessa ideia. O que se passa mesmo é que gente estúpida e cretina perdeu a vergonha de lançar bojardas para cima da mesa. Bolsonaro e Trump, entre muitos outros, iniciaram o jogo do vale tudo e quem se lixa continua a ser o mexilhão.

Bem, minha querida amiga, passemos às nossas quadras populares, sujeitas a mote, antes que eu fique com alguma alergia estranha e me julgue infetado, por algum vírus ainda desconhecido da humanidade.

 

Série: Quadras Populares Sujeitas a Tema - 9) O Seu a Seu Dono (entre invejas e cobiças).

 

O Seu a Seu Dono

 

Porta-chaves, chaves porta,

No seu anel prateado,

A chave da minha porta,

Não serve na porta ao lado…

 

Gil Saraiva

 

E assim termino mais uma carta, não sem antes me despedir com um beijo saudoso, deste que não te esquece e muito estima,

Gil Saraiva

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub