Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carta à Berta

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta: Sondagem Aximage para novas Eleições Legislativas

Berta 457.jpg

Olá Berta,

Estive a ver os dados da última sondagem da Aximage para TSF/JN/DN, noticiada hoje nestes órgãos de comunicação social. O trabalho analisa as transferências de voto das últimas presidenciais, para um caso hipotético de haver, já de seguida, novas legislativas e explica para onde os eleitores canalizariam os votos que atribuíram a cada um dos diferentes candidatos. Hoje, porque para falar de todos os votos transferidos preciso de algumas cartas, vou abordar os votos de Tiago Mayan.

Pelo que os eleitores de Mayan responderam à Aximage o partido Iniciativa Liberal apenas conseguiria manter 39,7% dos votantes em Tiago Mayan. Assim sendo, os liberais iriam recolher do seu candidato apenas 53.353 votos para o partido, enquanto que os eleitores de Ana Gomes contribuiriam com 7.037, os de Marcelo forneceriam 10.135 e, por último, Tino de Rans entregaria 32.300 dos seus votos ao IL.

Assim sendo o partido Iniciativa Liberal conseguiria arregimentar para a sua causa eleitoral em legislativas, se elas fossem agora, cerca de 102.835 votantes. Quer isto dizer que, embora se registasse um aumento face aos votos de 2019 no partido, este seria na ordem dos 52%, ou seja, não conseguiria votos suficientes para eleger um segundo deputado, ficando 32.000 votos abaixo de Mayan.

Eu sei, querida Berta, que as sondagens valem o que valem, mas, como vimos nestas presidenciais, elas não estão assim tão distantes da realidade. Ora, manter apenas um deputado não é nada que valha a pena destacar ou apresentar na comunicação social como um grande feito deste novo partido. Destaque seria se as sondagens lhe dessem a possibilidade de eleger um segundo ou terceiro elemento para o parlamento o que, não sendo o caso, torna a subida irrelevante.

A manipulação exagerada que foi feita aos números de Tiago Mayan por parte da SIC e da TVI demonstra que existem interesses instalados que visam unicamente a promoção do partido de Cotrim. Despede-se, por hoje, este teu amigo, recebe um beijo saudoso,

Gil Saraiva

 

 

 

Carta à Berta: A Ameaça do Chicão Queixinhas

Berta 435.jpg

Olá Berta,

Como não podia deixar de ser, com alguém que se dá a conhecer aos outros pelo nome de Chicão, aí vem o potencialmente perigoso Chicão ameaçar quem trabalha e tenta fazer o seu melhor. A situação só é suavizada pelo ridículo da situação. Com efeito, a ameaça traduz-se em fazer queixinhas. Ora fazer queixinhas é algo que não se mescla muito bem com o cognome Chicão.

Mas pronto, vamos aos factos, o Chicão Queixinhas fala em palhaçada (mais uma afronta grave de alguém que devia saber que os circos estão encerrados há um ano), quando se refere à última sondagem encomendada pela TSF, DN e JN à empresa profissional de sondagens Aximage. Sobre o assunto podemos ler as duras palavras de Chicão no Facebook:

“A Aximage decidiu antecipar o carnaval e começou hoje a ensaiar umas ‘palhaçadas’. Publicou uma sondagem de alfaiate, feita à medida de quem manda, na qual dá o PS a subir – apesar dos recentes escândalos – e o CDS, que os tem denunciado, a descer para os 0,3%”.

Ou seja, Francisco Rodrigo dos Santos, o “«pseudo-sanguinário» Chicão Queixinhas” e líder do CDS, ameaça fazer queixa da Aximage sobre a sondagem partidária, por esta efetuada, à Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC).

Mas o malfadado Chicão não se fica por aqui. Na sua douta verborreia de contra-ataque afirma:

 “Anunciar a morte do CDS-PP até pode ser um desporto que agrade a alguns (…) O problema é que as eleições nos Açores desmentiram essa morte e contrariaram todas as sondagens – a Aximage dava ao CDS, naquela altura, 1%”. Que segundo o mesmo contradiz a sondagem foi o facto de o CDS ter sido o terceiro partido mais votado nos Açores com 5,51%.

“Os erros repetidos sistematicamente contra o CDS deixam de ser apenas erros: são má fé ou incompetência”, proclama o Chicão Queixinhas que, na sua publicação, agride a Aximage, que pertence ao Grupo Bel, e lança ainda um feroz ataque à pessoa de José Almeida Ribeiro, que é quem assegura a direção técnica da referida empresa.

Ora eu compreendo que o Chicão Queixinhas esteja aos saltos por uma sondagem lhe reduzir o partido que “lidera”, se é que podemos chamar ao reinado do Chicão uma liderança, a uma expressão bem perto do zero.

Sou solidário com a contrariedade que uma revelação destas possa trazer aos sobreviventes centristas, o que não consigo entender são as ameaças à empresa de sondagens e aos seus colaboradores, coisa que nem, nas Américas, Donald Trump e Jair Bolsonaro se lembraram de fazer. É urgente que alguém explique ao Chicão Queixinhas a Democracia.

Assim sendo importa explicar ao Chicão Queixinhas não apenas como funcionam as instituições e os partidos democráticos, como o que é a liberdade de imprensa, e ainda o que significa a margem de erro apresentada na divulgação de sondagens pelas empresas do setor. Quiçá, com sorte, o grande Chicão Queixinhas conseguirá aprender alguma coisa com essa douta explicação, que urge realizar-se, quer para bem do próprio quer para o partido em si.

Por hoje termino esta carta com um beijo de até amanhã. Despede-se sempre saudoso este teu grande amigo, sempre pronto para o que for preciso,

Gil Saraiva

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub