Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carta à Berta / Desabafos de um Vagabundo / Miga, a Formiga / Estro

A partir de julho de 2022 os blogs do Senhor da Bruma, assinados por Gil Saraiva, são reunidos em "alegadamente". Os blogs: Estro (poesia), gilcartoon (cartoons) e Desabafos de um Vagabundo (plectro) passam a integrar este blog. Obrigado.

A partir de julho de 2022 os blogs do Senhor da Bruma, assinados por Gil Saraiva, são reunidos em "alegadamente". Os blogs: Estro (poesia), gilcartoon (cartoons) e Desabafos de um Vagabundo (plectro) passam a integrar este blog. Obrigado.

Carta à Berta: O Bom Taliban - Parte II/II

Berta 550.jpgOlá Berta,

Voltando ao tema do bom taliban, para concluir a ideia de ontem, escusas de avançar com a ideia de que só é aceitável aquele que está morto. Esse não é coisa alguma porque, pura e simplesmente, já não existe. Mas voltando ao que sabemos dos novos Talibans, no atual Afeganistão, já é certo que o Governo vai estar sob o comando e supervisão de um líder religioso e também é sabido que, em vez de uma constituição no país, a lei suprema será a religiosa, ou seja, aquela que aplica uma fanaticamente deformada definição de islamismo.

O ministro do Ensino Superior do novo Governo taliban, um tal de Abdul Baqi Haqqani, expôs as novas políticas religiosas numa conferência de imprensa em Cabul, dias depois da formação de um executivo que, como é do conhecimento de todos, é exclusivamente masculino. Para serem considerados diferentes este atual ministro taliban diz que as mulheres vão ter acesso à universidade, como se estivesse a conceder um prémio à comunidade internacional, imagina tu, amiga Berta. Porém, mais à frente no discurso, entre linhas, explica que as mulheres vão passar a frequentar universidades exclusivamente femininas, onde os 'hijabs' serão obrigatórios, só não especificou se tal significa o uso de lenços obrigatórios na cabeça, tapando totalmente a cara, mas não é difícil de adivinhar qual será o procedimento a adotar num próximo ano escolar.

Para além disso, o ministro quis ainda deixar claro que a coeducação não é, nem será nunca, permitida, bem como deverá ser imposta a segregação de género para (desculpou-se o líder taliban) assegurar a integridade física feminina. O que te parece Berta? O preocupado ministro garante ser também esse o motivo da implementação de um conjunto de regras para as mulheres que incluem igualmente um código de vestuário obrigatório. Apesar de tudo, de um modo condescendente, o ministro do Ensino Superior afirma ainda que as disciplinas ou cadeiras dos cursos superiores ministrados às mulheres vão ser alteradas, de maneira a melhor se adaptarem à sua própria condição feminina. Um verdadeiro rei da hipocrisia.

Há ainda o problema de permitir no país o acesso à música e às artes, como o teatro, o cinema, entre outras formas de expressão cultural, sendo que o governo taliban admite ainda estar a estudar o problema. Problema são também as manifestações públicas femininas que, segundo o novo Estado, estão absolutamente proibidas e que, caso aconteçam de novo, serão reprimidas rápida e violentamente. Os talibans afirmam que não pode haver direitos iguais entre géneros que são diferentes e que cada género terá de ocupar o seu verdadeiro lugar na sociedade islâmica que pretendem construir.

Como se tudo isto não fosse, por si só, suficiente, há ainda que lembrar que entre os elementos do governo e dos líderes religiosos, estão mais de uma dúzia de terroristas, atualmente com a cabeça a prémio nos Estados Unidos e que constam das listas de criminosos de guerra procurados pela NATO. Para cúmulo, a velha guarda taliban de há vinte anos (ou seja, os líderes talibans que sobreviveram aos últimos vinte anos) estão todos em lugares de poder ou na eminência de serem nomeados para muitos dos altos cargos ainda por preencher.

Voltando, por tudo isso, há existência ou não de um bom taliban tenho que reconhecer que tal não existe, porque a própria filosofia radical destes fanáticos religiosos impede que isso possa ser uma realidade. A verdade, minha grande amiga Berta é que o bom taliban permitiria uma carta de direitos humanos e nunca diria que a atual carta universal dos direitos humanos é uma distorção ocidental do significado de humanidade, completamente incompatível com a filosofia que está por detrás do novo regime taliban no Afeganistão. O exemplo da igualdade de género é usado para explicar que géneros diferentes (homens e mulheres) pelo simples facto de o serem, nunca poderiam ter direito a qualquer forma de paridade, quanto mais de igualdade.

Em resumo, minha querida Berta, este regime taliban é uma cópia fiel do anterior, apenas está a demorar algum tempo a ser integralmente implementado, a ver se o Ocidente liberta o país, quer das sanções, quer dos fundos monetários a que de momento lhes falta o acesso. E por aqui me fico, sem mais delongas. Despeço-me por hoje com esta minha conclusão sobre o que é o bom taliban. Conforme acho que deves ter adivinhado, o bom taliban é um conceito que não pode existir de modo algum, o fanatismo explica-o bem, ou se é bom ou se é taliban. Recebe mais um beijo de despedida,

Gil Saraiva

 

 

 

Carta à Berta: Série: Quadras Populares Sujeitas a Tema - 22) Santo António do Beijinho

Berta 115.jpg

Olá Berta,

Tudo serve, a alguns grupos noticiosos do nosso Portugal, para tentar despertar, e trazer para a ribalta, as múmias nacionais do nosso passado recente ou nem tanto. Ainda estou a tentar entender se esta espécie de exorcismos se fica a dever a um interesse político determinado e orientado propositadamente por esses grupos ou a qualquer outra razão mais obscura. Como sempre, minha querida, tudo o que aqui escrevo não pode sair do domínio do alegadamente, porque, para isso, precisava de outros recursos, que já não possuo, para poder sair deste enquadramento.

Porém a questão pode ser, inversamente, a preocupação de voltar a vender mais exemplares das suas publicações, uma vez que, na época em que esses espécimes existiram, enquanto seres alegadamente vivos e pensantes, deram provas excelentes no que economicamente importa, isto é, relativamente, aos resultados das vendas nas bancas de jornais e das subidas de audiências televisivas.

Aqui há dias atrás foi a vez de uma voz indignada, qual múmia de um distante passado além político (graças aos céus), vir a público botar discurso. Como por assombração, Cavaco Silva, que regressou das masmorras do arquivamento político, assombrou-nos para se insurgir contra a eutanásia.

Podes pensar que estou a exagerar, mas o “Tutáskakon” nacional até uma profecia arrastou para os microfones, com a sua voz de ido que não sabe que já foi, eu recordo-te as palavras da maldição:

 

“…a decisão mais grave para o futuro da nossa sociedade que a Assembleia da República pode tomar”. E depois a profecia: “…abrir uma porta a abusos na questão da vida ou da morte de consequências assustadoras”.

Tenho todo o respeito por homens de 80 anos, mas, quando digo respeito pelos homens refiro-me aos vivos. Agora, zombies, mortos-vivos e "políticos-levados-ao-colo-por-Balsemão", não entram no grupo desses valorosos séniores. Aliás, nos meus tempos de jornalista de investigação, escutei mais do que uma vez Francisco Balsemão, outra múmia das catacumbas, afirmar que elegia presidentes. Foi verdade com Cavaco e depois alargou o seu mágico poder das trevas à cadeira de Primeiro-Ministro, com a invenção macabra do “Frankenpassos Rabitelho”, que nos trouxe a santa inquisição “troikiana”.

Mas voltemos aos despertares de seres do além político, mais uma vez o expresso e a SIC (porque será que este grupo consegue manter, com tanta facilidade, aberto este portal oculto com os politicamente acabados? Cheira a bálsamos macambúzios, à mão esquelética de um Balsemão de 82 anos que resiste, por força da poção mediática da influência de massas, a descer os degraus escorregadios de esquecimento anunciado que tarda em efetivar-se.) trouxeram à luz noticiosa a opinião do “Frankenpassos” para vir uivar aos microfones um suposto ajuste de contas com António Costa. Se quiseres, minha amiga, podes ler tudo no expresso online, mas é mais do mesmo, são as tortuosas mentes de uma direita esclerosada a tentarem profetizar e provar que a razão lhes assiste, mesmo depois de condenados ao esquecimento.

Em resumo, o que eu gostava de saber é o que significam estas aparições, seguidas e bem planeadas, destes mumificados dejetos da política nacional? O que está por detrás de assombrações cirúrgicas como estas? Serão as autárquicas, prepara-se algo para as presidenciais? Alguma coisa está para acontecer. Esperemos sentados, de arma com balas de prata numa mão e um cinturão de alhos na outra.

Tinha-te dito que estavam terminadas as quadras sujeitas a mote. Contudo descobri nos meus arquivos umas que ficam bem neste conjunto.

Série: Quadras Populares Sujeitas a Tema - 22) Santo António do Beijinho.

 

Santo António do Beijinho I

 

Beijo, que é Stº. António,

Dia 13, sexta-feira,

Que o santo do matrimónio,

Não vai cair da cadeira.

 

Santo António do Beijinho II

 

Beijo nesta lua cheia,

Noite de marchas e festa,

Que beijar não dá cadeia,

Se for dado assim na testa.

 

Santo António do Beijinho III

 

Beijo p’ra a doce menina,

Dado com muito carinho,

Que o santo não se amofina,

Nem vai fazer beicinho.

 

Gil Saraiva

 

E assim me despeço, com um abraço carinhoso e muito apertado, este teu amigo de sempre,

Gil Saraiva

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub