Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carta à Berta

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta: Dia de Santa Vacina do Desconfinamento Sagrado

Berta 427.jpg

Olá Berta,

Hoje é dia de Santa Vacina do Desconfinamento Sagrado. Podia ter calhado a um dia de semana, mas é muito mais simbólico calhar em dia Santo. O Domingo foi o dia escolhido na União Europeia para começar a vacinar em todos os países em simultâneo.

Marta Tremida (ai! A minha cabeça), digo, Temido, vai estar presente no início da vacinação. Palavras pomposas são usadas em toda a parte. No Hospital de S. João, no Porto, o diretor da Unidade Autónoma de Gestão (UAG) de Urgência e Medicina Intensiva, Nelson Pereira, disse ontem: “Estaremos cá amanhã [hoje, domingo] para nos vacinarmos porque vacinar é um ato de cidadania fundamental nesta fase em que nos encontramos. Ao nos protegermos a nós, estamos a proteger os outros e é para isso que esta vacina serve: para nos protegermos uns aos outros". O Senhor de La Palice não teria discursado melhor.

A meu ver acho muito bem que as vacinas comecem e quanto antes melhor. Longo vai ser o caminho, contudo, contrariamente ao que muitos agoiram, julgo que tudo vai correr dentro das melhores expectativas e que, a haver atrasos, não será por culpa do nosso Governo.

Todavia, amiga Berta, eu, embora pertencendo a um grupo de risco, vou esperar por abril ou maio para ser vacinado. Não estou virado para servir de cobaia nacional nas primeiras levas e tomas. Prefiro realmente manter o confinamento até ver que tudo condiz com o prometido. Não sou como São Tomé, mas ando lá perto e, na verdade, prefiro ver para crer e para querer. Os afoitos, os idosos em grande risco e os profissionais de saúde que assim o desejarem podem por isso, e a meu ver, ser os primeiros a serem vacinados.

É também um facto que pretendo e quero ser vacinado. Porém, no tempo certo, sem pressas, que a pressa a mais não é boa conselheira. Com os votos de um Santo dia se despede este teu amigo,

Gil Saraiva

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub