Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carta à Berta / Desabafos de um Vagabundo / Miga, a Formiga / Estro

Julho de 2022: blogs do Senhor da Bruma, assinados por Gil Saraiva, são reunidos em "alegadamente": Estro (poesia), gilcartoon (cartoons) e Desabafos de um Vagabundo (plectro). Tudo deve ser entendido no âmbito do alegadamente.

Julho de 2022: blogs do Senhor da Bruma, assinados por Gil Saraiva, são reunidos em "alegadamente": Estro (poesia), gilcartoon (cartoons) e Desabafos de um Vagabundo (plectro). Tudo deve ser entendido no âmbito do alegadamente.

Carta à Berta n.º 606: Marta Temido Demite-se (Delfins 4 de 5)

Berta 606.jpg Olá Berta,

Já deves ter visto nas notícias, amiga, que Marta Temido, a Ministra da Saúde, apresentou na quarta-feira passada a sua demissão. O caso de Marta estava tremido e o que antes era temido tornou-se realidade. A super-ministra sai, a nova militante do PS desliga-se do Governo, a quinta Delfim de António Costa vira bacalhau com natas. Porquê?

Não é, certamente, Berta, pela morte de mais uma grávida às portas do SNS, conforme anuncia a comunicação social. Nada disso! Nem é cansaço com o peso do cargo, porque Marta pode bem com algum excesso de peso. Nem sequer é porque se tornou incompetente devido aos problemas que se agravam no seio do Serviço Nacional de Saúde.

Nem mesmo será por motivos pessoais, porque, nesse caso, não se ia manter no cargo até lhe ser possível apresentar a restruturação que tem programada para o Ministério, no âmbito do SNS. Nem tão pouco, minha querida, é devido às múltiplas calinadas da Direção Geral de Saúde e do comportamento errático da sua Diretora Geral, Graça Freitas, tornada, pela Covid-19, a taralhouca do Ministério.

Marta Temido, ao contrário dos companheiros de Astérix na BD, não teme que o céu lhe caia em cima da cabeça, Berta. O que faz tremer Marta é o novo Arséne Lupin, de nome Fernando Medina, que conspira, qual doninha fedorenta, nas catacumbas sombrias do Ministério das Finanças.

Porém, ao contrário do famoso ladrão da literatura francesa, amiguinha, este Arséne, tem mais de Arsénio do que de Arséne e se Lupin queria dar uma ideia de Loup (lobo em francês) ou seja, um predador bonzinho que roubava os ricos, distribuía pelos pobres e contentava-se com uma mera comissão pelos seus serviços, o nosso Arsénio é mais Lupin no verdadeiro sentido da palavra em francês (uma vez que Lupin é a palavra francesa para tremoço), é mais, dizia, um tremoço, ou seja, um tipo que não sabe a nada, nem nada sabe, a não ser que sendo um tremoço de Arsénio, é efetivamente um composto mortal. Seca tudo à sua volta.

Se não se adequa a Medina o lobo, já a raposa, cruzada com um vampiro, é bem mais adequada para o nosso Arsénio. Este animal, graças à sua fusão com o venenoso elemento, o Arsénio, na sua fatiota preta, consegue, minha querida, passar disfarçadamente pelos pingos da chuva, sem que ninguém se aperceba bem da sua letal figurinha insignificante. Sim, porque, Fernando Medina, enquanto homem de pequeno porte, nada tem de bailarino. É muito mais um velhaco cínico de sorriso sibilino.

Isto vem, Berta, desde que António Costa o escolheu como Delfim, nos tempos da Câmara Municipal de Lisboa como presidente, para seu sucessor na autarquia de Lisboa. Medina tem de soberba o que Temido tem de capacidade. E este Delfim penteadinho não vai descansar enquanto não limpar do executivo todos os outros Delfins de Costa.

O escorregadio e sebento Delfim continuará a sua senda de eliminar, caso a caso, as duas Ministras políticas de Costa, bem como o barbudo responsável pelas Cavernas, Infraestruturas e Transportes, esse novo Brejnev Coração-de-Leão que cuida da TAP como se ela fosse sua filha porque, minha amiga, Fernando Medina é, mais uma vez, recorrendo à Banda Desenhada de Goscinny, como o Grão-Vizir Iznogoud (leia-se “he’s no good”, ou seja, “ele não presta”). Ele quer ser Califa no lugar do Califa. Ele quer ser, em suma o sucessor de António Costa. E não se vai inibir de, na devida altura, espetar a faca nas costas largas de Costa.

Face ao que já referi, cara amiga, nem sequer considero que esteja em causa a capacidade de Marta para reestruturar as carreiras Médicas, de Enfermagem e dos respetivos Auxiliares no seio do Serviço Nacional de Saúde, penso até que ela sabe bem como reformular a gestão hospitalar e o restante SNS, porém, nada pode fazer contra o tenebroso Arsénio. Também sei que não devo escrever este tipo de afirmações sobre o nosso Ministro das Finanças, pelo que, reitero que as minhas conjeturas se alojam no nublado mundo daquilo que poderia ser alegadamente verdade, mas que só o será depois de provado com factos e evidências.

É claro que, sobre Fernando Medina, o que atrás vai dito apenas são as minhas alegadas conclusões do seu comportamento político, mas posso estar enganado e tratar-se de uma pessoa que até seja um verdadeiro poço de virtudes, mas, Berta, embora não tenha olho clínico estou longe de pensar estar a errar.

Tenho pena de ver sair Marta Temido, mas esta batalha foi vencida por outro Delfim… talvez nem mesmo um Delfim, mas antes um tubarão branco disfarçado de golfinho, não há como saber, pelo menos por agora, deixemos o tempo correr e vamos esperar pelo desenrolar dos acontecimentos… deixo um beijo de despedida, querida amiga,

Gil Saraiva

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub