Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carta à Berta

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta: Série: Quadras Populares Sujeitas a Tema - 21) Efeitos Secundários

Berta 114.jpg

Olá Berta,

Esta segunda-feira, minha amiga, fiquei a saber que o Governo da Venezuela, o mesmo que comprava Magalhães às pazadas a José Sócrates, agora sob as ordens de Maduro em vez de Chaves, anunciou, há poucas horas, a suspensão por 90 dias das operações no país da companhia aérea portuguesa TAP. A medida, indica o Twitter onde a deliberação foi anunciada, prende-se com razões de segurança, após as acusações de transporte de explosivos para a Venezuela, feitas pelo executivo venezuelano, a um voo da companhia, oriundo de Lisboa.

"Devido às graves irregularidades cometidas no voo TP173, e em conformidade com os regulamentos nacionais da aviação civil, as operações da companhia aérea TAP ficam suspensas por 90 dias", disse o ministro dos Transportes da Venezuela, Hipólito Abreu, na sua conta na já referida rede social.

Na última semana, o Governo de Caracas acusou a TAP de ter violado os “padrões internacionais”, por alegadamente ter fechado os olhos ao transporte de explosivos e ter ocultado, no seu manifesto de passageiros, a identidade do líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, num voo para a capital do país sul-americano.

O Estado Venezuelano justifica ainda a prisão do tio de Guaidó, Juan Marquez, que viajava com o sobrinho neste voo, por este ter transportado “lanternas de bolso táticas” que ocultavam “substâncias químicas explosivas no respetivo espaço destinado às baterias”.

São estas as razões que levam as autoridades venezuelanas a determinarem que a TAP, neste voo entre Lisboa e Caracas, violou as normas de segurança internacionais, permitindo explosivos e também ocultando a identidade do autoproclamado Presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, na lista de passageiros, pese embora a segurança aeroportuária não ser da responsabilidade das companhias transportadoras. Um detalhe pouco significativo, ao que parece, nas terras de Maduro.

O Governo Português, ainda refém de uma significativa emigração lusa naquele país, já solicitou um inquérito para averiguar sobre a veracidade das acusações que envolvem a transportadora aérea portuguesa, não deixando contudo de avançar já que preliminarmente não parece existir qualquer indício de irregularidades no voo que transportou Marquez e Guaidó.

O que eu acho revoltante, minha querida amiga, é o Governo de Portugal não ter reagido exatamente como Marega reagiu (e que eu condenei) aos insultos de racismo, mostrando bem alto, e com os braços de todos os portugueses elevados ao máximo, o dedo a estes difamadores sem escrúpulos da Venezuela.

É nisto que dá negociar e passar a mão pelo pelo de ditadores cretinos e dignos da mais deplorável prisão, que se consiga descobrir pelas américas.

Porém, regressemos à última quadra, deste teu desafio de 21 dias, no âmbito das quadras populares sujeitas a mote a que, tão habilmente, me sujeitaste.

Série: Quadras Populares Sujeitas a Tema - 21) Efeitos Secundários.

 

Efeitos Secundários

 

Trinquei de leve, com jeito,

A carne fofa, encantada,

E essa trinca em teu peito

Deixou-me a calça molhada...

 

Gil Saraiva

 

Fico a aguardar o veredito final à forma como superei ou não o teu desafio. Por agora despeço-me com um beijo,

Gil Saraiva

Carta à Berta: Série: Quadras Populares Sujeitas a Tema - 9) O Seu a Seu Dono

Berta 102.jpg

Olá Berta,

Hoje estou horrorizado com o que ouvi nas notícias, um padre americano de Rhode Island diz que “ao contrário do aborto a pedofilia não mata”. Em primeiro lugar, muitos pedófilos matam efetivamente as suas vítimas, em segundo lugar, a comparação para defender o não ao aborto é tão descabida e despropositada, que apetece perguntar ao reverendo Richard Bucci, o clérigo que a proferiu, o que é que ele acha que a pedofilia faz:

Será que, como dizia Raúl Solnado na sua paródia sobre a guerra, “não mata, mas desmoraliza muito”? Ou, em alternativa, será que o padre responderia que “o que não mata engorda”? Quando te digo, amiga Berta, que anda tudo louco é porque penso realmente que se perdeu o bom senso. Nos Estados Unidos da América, com o Presidente Donald Trump a dar o exemplo sobre onde consegue chegar a cretinice, talvez não seja para nos admirarmos de ouvir um vigário dizer o que disse.

Pior que tudo é o ar natural como o infeliz padre (para não usar uma expressão mais contundente) proferiu para as câmaras de televisão a afirmação. Falava com uma naturalidade como se estivesse a anunciar as recém-lançadas hóstias sem glúten, recentemente adotadas pela igreja católica e à disposição dos fiéis que as requisitam para a sua comunhão.

Às vezes penso que sou eu que já não consigo acompanhar os sinais do tempo. Mas depois recuo nessa ideia. O que se passa mesmo é que gente estúpida e cretina perdeu a vergonha de lançar bojardas para cima da mesa. Bolsonaro e Trump, entre muitos outros, iniciaram o jogo do vale tudo e quem se lixa continua a ser o mexilhão.

Bem, minha querida amiga, passemos às nossas quadras populares, sujeitas a mote, antes que eu fique com alguma alergia estranha e me julgue infetado, por algum vírus ainda desconhecido da humanidade.

 

Série: Quadras Populares Sujeitas a Tema - 9) O Seu a Seu Dono (entre invejas e cobiças).

 

O Seu a Seu Dono

 

Porta-chaves, chaves porta,

No seu anel prateado,

A chave da minha porta,

Não serve na porta ao lado…

 

Gil Saraiva

 

E assim termino mais uma carta, não sem antes me despedir com um beijo saudoso, deste que não te esquece e muito estima,

Gil Saraiva

 

Carta à Berta: Route Two ou a Estrada Nacional 2

A Mais Longa Estrada da Europa.jpg

Olá Berta,

Um grupo de municípios portugueses teve uma ideia luminosa. Para a concretizar criou uma associação e lançou um projeto. O Expresso Diário online divulgou a coisa, depois o programa “Boa Cama, Boa Mesa”, da Sic, pegou no mote e fez a apresentação televisiva e, por fim, o “MSN Lifestyle” da “Microsoft News”, difundiu-a ainda mais pela internet.

Estou a falar da Maior Estrada Histórica Nacional da Europa e uma das maiores do Mundo, nesta categoria, com origem na antiguidade clássica, e, primeiramente, criada pelos romanos. Trata-se da EN2, ou Estrada Nacional n.º 2, que fica em Portugal, e liga Chaves a Faro.

 A “Route Two”, ou usando a sigla nacional a EN2, vai-se transformar em percurso turístico com o apoio de todos os municípios que atravessa. Conseguindo, deste modo, ser vista e explorada, enquanto itinerário turístico português único, pois atravessa Portugal de Norte a Sul, mesmo pelo centro do território.

Uma brilhante ideia que me fez ficar a saber um pouco mais sobre este nosso pequeno, porém, diversificado país. A via, que passa por 11 rios e atravessa 4 serras, vai ter guia específico e escalas recomendadas em todo o percurso, para que os turistas possam apreciar as diferentes paisagens e regiões nacionais, à medida que a percorrem, tirando partido da oferta hoteleira e gastronómica de cada município.

Um guia elaborado propositadamente para o assunto, proporá as etapas, explicando as alternativas paisagísticas, hoteleiras e gastronómicas entre outras, em cada trecho. O programa “Boa Cama, Boa Mesa” adiantou alguns dos pontos já identificados. e a não perder nos 739,2 quilómetros de viagem previstos. São 11 os distritos interligados no itinerário a percorrer e 32 os municípios envolvidos no trajeto.

A ideia já valeu um prémio atribuído pelo Turismo de Portugal à Associação de Municípios da Rota da Estrada Nacional 2(AMREN2), que arrecadou o Prémio Projeto Público, aquando da realização da primeira edição do Prémio Nacional de Turismo (PNT).

Os destaques já feitos pelo programa da Sic, apresentam uma das possíveis propostas hoteleiras do roteiro, a saber:

O Hotel Casino de Chaves, donde se segue para o Vidago Palace Hotel, continuando a viagem até ao Six Senses Douro Valley na Quinta do Vale Abraão, em Samodães.

Na continuidade vem a Pousada de Viseu, que serve de poiso, antes do Hotel da Montanha, no Monte Senhora da Confiança, em Pedrógão Pequeno.

Montargil é a próxima paragem, com descanso no resort Nau Lago Montargil & Villas, antes de seguir para a Herdade da Cortesia, em Avis, e depois para a Casa dos Castelejos, em Castro Verde, que antecede a chegada ao Eva Senses Hotel em Faro, no final da viagem pela EN2 sentido Norte, Sul.

Estes destaques do programa, nesta rota, custariam em dormidas uma verba na casa dos mil e 60 euros, sem as refeições estarem sequer incluídas, mas o futuro roteiro trará alternativas para todo o tipo de bolsos e carteiras.

O fundamental, contudo, e muito mais interessante, é que a viagem possa ser programada e disfrutada de sul para norte ou o contrário, com maior ou menor número de escalas e com uma grande variedade de ofertas hoteleiras e gastronómicas adequadas a cada tipo de turista, seja ele nacional ou estrageiro, seja ele mais ou menos abastado.

Sabes, Berta, amei toda a ideia. Uma estrada que une Portugal transformada em roteiro turístico. Gostava de fazer a experiência, com calma, muitas paragens e tempo para explorar cada município. No meu caso, mesmo assim, teria de seguir a proposta dos pelintras, de maneira a fazer tudo por menos de 500 euros, mas isso sou eu, que ainda espero um dia voltar a ser pago pelo que escrevo.

Despeço-me de ti, saudoso, com um beijo, este teu amigo que não te esquece,

Gil Saraiva

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub