Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carta à Berta

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta: Série "Os Segredos de Baco" - I - Introdução

Berta 130.jpg

Olá Berta,

A carta de hoje serve para te informar que, já a partir do próximo dia 6 vou dedicar algumas das cartas que te escrevo aos Segredos de Baco e à Fina Arte deste deus romano da antiguidade clássica. Estou a falar do vinho. Principalmente do vinho tinto, mas não só. Prepara-te para a série “Os Segredos de Baco”, servindo esta carta de introdução temática da série.

Podes pensar que será um exagero enviar-te várias cartas sobre o tema, mas, em vez de te ir falar sobre esta ou aquela pomada, aquilo a que vou dedicar é a alguns capítulos relacionados com o vinho em geral, as suas diferenças, aromas, por que tipo de copo beber, um glossário realizado sobre a temática, os superlativos usados neste campo, etc.. Enviar-te-ei, por exemplo, os tipos de copo aconselhados para cada género de bebida, os aromas, com as respetivas rodas aromáticas, que se podem detetar no vinho branco ou no tinto ou em ambos.

Porém, ficar por aqui seria muito curto, pelo que receberás igualmente a tabela de safras vitivinícolas em Portugal, para todas as regiões demarcadas do país, com início em 1982 até 2017, uma vez que as de 2018 e 2019 ainda estão em elaboração e seria precipitado referi-las. Esta tabela levou-me mais de um ano a elaborar e obrigou a um tremendo trabalho de investigação, porque algumas das regiões ainda não existiam em 1982. Para além disso, as opiniões e classificações dos enólogos e especialistas divergem entre si.

Dito de outra forma, e não te rias, pensa nestas cartas como uma iniciação à arte de bem beber. Aliás, também receberás uma tabela sobre o que se deve comer com cada tipo de vinho, a que temperatura se deve ingerir cada uma das várias pomadas, consoante as suas caraterísticas  específicas, para além disso também refiro o teor alcoólico respeitante às diferentes especificidades de cada néctar e até as “vino-calorias” e calorias de cada tipo de vinho. Também ficarás a entender o tempo que, teoricamente, terás para beber, segundo as recomendações dos especialistas, cada um dos diferentes vinhos depois de abrires uma garrafa.

Sei que algumas das coisas que vou referir são apenas meras curiosidades, mas, também são coisas que raramente se vêm referidas e que, por isso mesmo, têm o seu interesse ou graça. Dou-te mais um exemplo: poderás constatar, facilmente, numa das tabelas, que as calorias provenientes do açúcar existente no vinho não é a mesma coisa que as calorias do próprio vinho em si. Perguntarás se isso tem algum interesse e a resposta é, claro que sim. Tenho uma amiga nutricionista que usa a minha tabela para recomendar aos seus clientes que consomem vinho, os mais apropriados e que quantidades lhes são recomendadas numa base diária ou semanal.

Enfim, espero que te divirtas com esta nova temática dos Segredos de Baco. Despeço-me com carinho, este teu eterno amigo,

Gil Saraiva

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub