Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Carta à Berta

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta: Campo de Ourique - 2019 em Revista - fevereiro

Berta 83.jpg

Olá Berta,

Fico feliz por te ter agradado o primeiro mês do ano de 2019, em revista, no que concerne ao Bairro de Campo de Ourique. Hoje é dia de avançar com o senhor que se segue, ou seja, o curto mês de fevereiro, passado no meu bairro, com os destaques que, pelo menos para mim, são de realçar neste recanto de Portugal, onde batem corações unidos por um amor comum, que mais não é do que a paixão pelo bairro de Pessoa. Regressar a fevereiro de 2019 nesta freguesia, afinal, nada mais é do que continuar a fazer prova da vivacidade e vitalidade da mesma. Espero que esta revista do ano passado te continue a agradar.

Campo de Ourique em revista, fevereiro de 2019:

O dia 1 de fevereiro deu o alerta e o 2 de fevereiro levou o Bairro de Campo de Ourique até aos noticiários televisivos. O mau tempo, trazido pela tempestade Helena, fez abater uma parte da Rua 4 de Infantaria mesmo em frente do Jardim da Parada, tendo obrigado ao desvio das carreiras de autocarros e obrigado ao condicionamento da circulação automóvel. Elementos da Proteção Civil, da Polícia Municipal e a Junta de Freguesia estiveram no local a avaliar os estragos causados.

No dia 3 de fevereiro, minha querida amiga, o jazz regressou a Campo de Ourique, o Mercado manteve a sua promessa de, com entrada livre, nos proporcionar as sonoridades do “jam” e do “jazz” com o trio “Out of the Blue” a atuar entre as 18 e as 22 horas. Imperdíveis as “jam sessions” da banda.

Dia 4 foi a vez da Revista Evasões divulgar uma reportagem sobre a Pikikos – cut, care and coffee, uma loja, uma cafeteria e um cabeleireiro para crianças e adultos, acabadinha de inaugurar no Bairro de Campo de Ourique, um verdadeiro 3 em um, na Rua 4 de Infantaria no nº. 53, de que tu irias gostar bastante querida Berta.

“O Corvo” – sítio de Lisboa, uma publicação online sobre o que se vai passando pela urbe alfacinha, publicava, também a 4 de fevereiro, uma notícia denominada: “Há sinais contraditórios sobre o suposto regresso do tráfico de droga e da insegurança ao antigo Casal Ventoso”. No corpo da notícia eram sublinhadas as áreas em causa, que atualmente fazem parte integrante de Campo de Ourique, embora se encontrem na margem mais afastada do Bairro. São elas: a Quinta da Cabrinha, a Quinta do Loureiro e a Avenida de Ceuta Sul, que ainda abrangem, também, as Freguesias da Estrela e de Alcântara. Para uma leitura mais atenta recomendo, amiga Berta, que consultes a página: https://ocorvo.pt/ha-sinais-contraditorios-sobre-o-suposto-regresso-do-trafico-de-droga-e-da-inseguranca-ao-antigo-casal-ventoso/.

Também a 4 de fevereiro a Casa Fernando Pessoa deu lugar ao debate e leituras do Clube dos Poetas Vivos com a participação de Ana Paula Inácio entre as 19 e as 20 e 10.

Foi a 10 de fevereiro que as “jam sessions” da banda “Out of the Blue” nos voltaram a proporcionar mais 6 horas de música, no fim de tarde e noite, no Mercado de Campo de Ourique. O domingo ficou a ganhar com mais esta prestação das sonoridades do jazz, interpretadas pela cada vez mais experiente tríade de músicos.

A 15, 16 e 17 de fevereiro, no Mercado de Campo de Ourique, teve lugar a quarta edição do Mercado do Vinho, com música ao vivo, workshops e muitos tintos, brancos, rosés e espumantes para provar. Teria sido uma ótima altura para teres dado um salto até ao meu bairro, minha querida Berta. Na sexta-feira a banda “Groovelanders” fez as honras musicais a partir das 21 horas.

A 16, sábado, o almoço foi acompanhado pelas sonoridades de Joel Pinto, entre as 13 e 30 e as 15 e 30 e mais tarde, pelas 20 e 30, foi a vez de se fazer silêncio porque se cantou o fado, pela voz de Cristina Madeira.

Ainda no domingo, dia 17, a banda que tem por nome a música de Miles Davis “Out of the Blue”, e por filosofia a inspiração de uma fonte longínqua, mais propriamente o pensamento budista do filosofo e poeta japonês Daisaku Ikeda, trouxe o jazz e a música encheu o espaço entre as 18 e as 22 horas no muito ativo Mercado de Campo de Ourique.

No dia 18 de fevereiro, entre as 16 e 30, onde foi servido um chá, e as 19 horas, a exemplo do que já tinha acontecido no mês anterior e que escapou ao meu radar, foi dada continuidade na Fundação Maria Ultrich, no nº. 240 da Rua Silva Carvalho, à temática d’ “as idades da vida e o processo de desenvolvimento da Santidade”, com entrada livre. Este foi mais um encontro dos amigos e colaboradores da Fundação, com o tema a cargo da Drª. Deolinda Botelho.

Aconteceu no dia 19 na Mercearia do Campo, cuja morada na Rua Saraiva de Carvalho, já pertence à Freguesia da Estrela, mas que teima em afirmar-se um espaço do Bairro de Campo de Ourique e para isso criou o conceito “Mercearia -1” ( leia-se: menos um), criando um clube quase secreto no Bairro de Campo de Ourique, onde nos pudemos deliciar escutando, ao vivo, desde jazz a blues, passando pela Bossa Nova. A -1 encontra-se na cave da Mercearia do Campo, o concerto de dia 19 arrancou às 21 horas. Foi um tempo de Bossa Nova com Micheline Cardozo a dar a voz, o Maestro Luiz Antônio Gomes e o violinista do Seu Jorge, Júnior Mouriz. Lembrei-me de ti querida amiga, acho que terias apreciado muito toda a envolvência. Quanto ao dia 20 a sonoridade foi outra bem diferente, a cargo do BR DUO JAZZ.

A 20 de fevereiro o bairro foi bafejado pela sorte, com a presença do CNAP, Círculo Nacional de Arte e Poesia, na Biblioteca e Espaço Cultural Cinema Europa, com uma exposição coletiva de pintura de 12 artistas associados do círculo, denominada pelo patrocinador, a Junta de Freguesia de Campo de Ourique, de “Exposição de Artes Plásticas”. Quanto aos artistas representados pudemos ver obras de Adelaide Freitas, Catarina Semedo, Elmanu, Fernanda de Carvalho, Josefina Almeida, Luís Ferreira, Margarida Dias, Maria Rita Parada, Marisa Castro, Olímpia Campos, Teresa Filipe e Vitor Hugo.

A Sociedade Filarmónica Alunos de Apolo, fez no dia 23 e 24, uma incursão ao Pavilhão Desportivo do Complexo Desportivo Municipal Casal Vistoso, em Lisboa, a Sociedade tinha sob sua responsabilidade a organização da POC 2019 – WDSF World Open Latin, com as respetivas provas internacionais de Dança Desportiva, as quais foram integradas conjuntamente com a realização da vigésima edição do Portugal Open em Dança Desportiva. Foi um fim-de-semana recheado de boa-disposição e muito bom profissionalismo num evento apoiado pela Câmara Municipal de Lisboa, Instituto Português do Desporto e Juventude e pela Junta de Freguesia de Campo de Ourique. Na divulgação ainda esteve garantido o apoio total da Associação de Turismo de Lisboa.

Por sua vez o dia 24 de fevereiro, trouxe ao Mercado de Campo de Ourique, para a sua última atuação de fevereiro, a banda “Out of the Blue”, onde as sonoridades do jazz fizeram a transição perfeita entre o chegar do crepúsculo e a noite que se foi instalando, entre as 6 da tarde e as 10 da noite, como sempre, graças ao jazz e às as suas imperdíveis “jam sessions”.

O regresso das atuações da Mercearia -1 aconteceram a 26 e 27 de fevereiro, ambos os dias pelas 21 horas, no primeiro dia a atuação esteve sob a responsabilidade de Maestro Duo e no dia seguinte foi a vez da voz de Ana Moreira se fazer ouvir. A Mercearia -1 sugere ainda, para ambos os dias uma passagem pelo piso superior, onde é possível experimentar a nova carta assinada pelos chefs Maria José e Alberto Pranches. Seguindo para a cave, encontramos aquele que a Mercearia do Campo diz ser o único bar em Portugal a oferecer o conceito Johnnie Walkers Club, onde o cliente pode comprar uma garrafa de Johnnie Walker e guardá-la num armário no bar até acabar, sendo que apenas o próprio utilizador fica com a chave.

Foi a 27 de fevereiro que teve lugar na Casa Fernando Pessoa a Aula de Poesia Mundial onde Rosalía de Castro nos foi dada a conhecer por Ângela Fernandes. Se a minha amiga tivesse estado em Lisboa poderíamos ter ido os 2, pois sei bem quanto gostas de poesia. O evento teve início pelas 18 e 30 e terminou pelas 20 horas.

Este pequeno relambório constituiu, a meu ver, a principal atividade do Bairro de Campo de Ourique em fevereiro do ano passado. Amanhã será o dia de falarmos de março de 2019. Despeço-me com um beijo amigo,

Gil Saraiva

 

Carta à Berta: O meu canto do Paraíso - CAMPO DE OURIQUE

Jardim da Parada.JPG

Olá Berta,

Li a tua última carta e peço desculpa se nunca te trouxe a conhecer o bairro onde vivo, para além de uma ou outra refeição que nos reuniu num dos restaurantes da zona. Dizes que, apesar de um passeio ou outro comigo pelo Jardim da Parada e por outras pequenas vindas ao Bairro, sabes muito pouco sobre ele. Acho que te posso dar uma pequena ajuda quanto a este meu bairro, para mim, o melhor de Lisboa.

O Bairro de Campo de Ourique, minha amiga, coincide com uma nova freguesia portuguesa, homónima, do concelho de Lisboa, resultante de uma fusão em 2012, que junta as freguesias de Santo Condestável e Santa Isabel, que já anteriormente davam nome ao Bairro.

Campo de Ourique pertencente à Zona do Centro Histórico da capital, com 1,65 km² de área e 22 mil habitantes. Talvez seja por só ter metropolitano na sua periferia, no Largo do Rato, que o Bairro funcione como uma pequena aldeia, onde as pessoas se conhecem e convivem como tendo uma identidade própria, característica dos pequenos povoados. Pelo formato da sua área ficou com uma configuração que, no mapa, nos faz lembrar um animal. No meu entender a figura parece um javali, uma fêmea, pronta para ir às compras pelo Bairro, que, pela profusão de comércio num tão pequeno espaço, é designado como sendo o Maior Centro Comercial de Ar Livre de Portugal. São mais de 1.500 espaços comerciais e de serviços e, pelo menos, 250 estabelecimentos ligados à restauração. Por aqui, Berta, podes provar um pouco de quase tudo. Neste mundo da restauração encontras imóveis com as mais diversas variantes, sejam eles edifícios de hospedagem, restaurantes, pastelarias, tascas ou cafés. Se fossem todos implantados a nível térreo isso daria uma atividade de comércio ou serviços, com uma implantação de um estabelecimento por cada m² e um restaurante ou similar a cada 6,2 m². Um verdadeiro absurdo.

Contudo, se quiseres investigar os pontos de interesse, tudo depende da abordagem que fizeres: na área do Desporto e da Dança é aqui que encontramos a sede dos Alunos de Apolo, especialistas nacionais nas danças de salão, ou o CACO, Clube Atlético de Campo de Ourique e até o Ginásio Clube Português. Na área da governação não existe apenas a Junta de Freguesia, pois é, também aqui, que está situada a Presidência do Conselho de Ministros do país e até a Embaixada Britânica.

A nível histórico, cultural e educacional, para além de várias galerias de arte, encontramos a Estátua da Maria da Fonte, enquadrada pelo acolhedor Jardim da Parada, que na toponímia se designa por Jardim Teófilo de Braga, que já conheces; a Casa Museu Amália Rodrigues, a maior diva nacional do fado de todos os tempos; a Casa Fernando Pessoa, um dos mais prestigiados nomes da literatura nacional, um espaço de cultura ímpar, que te recomendo como visita imprescindível, e ainda, o Museu João de Deus e a Fundação Maria Ultrich.

Na área artística e cultural há a referir também o Páteo dos Artistas, na Rua Coelho da Rocha, ou o das Barracas, na Rua de Infantaria 16; a moderna Biblioteca Europa; o Grupo Dramático e Escolar Os Combatentes; as escolas Secundárias Josefa de Óbitos e a Manuel da Maia; a Redbridge School; o Colégio religioso dos Salesianos; a Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa e uma Delegação da UAL, Universidade Autónoma de Lisboa, onde funciona o Instituto de Artes e Ofícios e o Curso de Arquitetura. Como podes ver, minha amiga, a cultura, a arte e a história conjugam-se harmoniosamente com o quotidiano do meu Bairro.

Ora, se fores mais terra-a-terra, podes ir ver um dos mais antigos Geomonumentos de Lisboa, com pelo menos 21 milhões de anos, na Rua Sampaio Bruno. Depois aconselho a visita às Igrejas de Santa Isabel e do Santo Condestável e ao Quartel de Campo de Ourique, de onde partiu a Revolução dos Cravos e a implantação da liberdade no país. No Bairro estão presentes, o Grupo de Teatro Inglês, The Lisbon Players; a AMA, Academia Mundo das Artes; a Companhia da Chaminé e, já na centenária Padaria do Povo, está sedeada a Associação Cultural Fermento.

A componente turística apresenta diferentes tipos de instalações hoteleiras e vários pontos de interesse, se preferires instalar-te numa delas, quando por cá passares, em vez de aceitares a minha hospitalidade, é claro. Podes pernoitar quer nos variados espaços de alojamento local do Bairro ou optar pelo Hotel da Estrela; o Lisbon Luxury Palace; o ACM Lisbon; o Hotel Sua; o Hotel Lissabon; o Starhostel, o Royalty Hostel; o Ourique Hostel; o Apartamento Lisboa; o Tilty Lisbon ou a Pensão Madeira. Como outros atrativos Berta, ainda tenho que te referir a Praça de S. João Bosco de onde partem os elétricos 25 e 28; o Amoreiras Shopping Center e o Amoreiras Plaza ou o Mercado de Campo de Ourique.

No que diz respeito à alimentação, tens, nos mais de 250 estabelecimentos de restauração, um pouco de tudo: da cozinha tradicional portuguesa à da Serra da Estrela, passando pela alentejana, minhota, madeirense, portuense e a da bairrada; há ainda os vegan e os vegetarianos e na vertente internacional pode experimentar a comida chinesa, macaense, japonesa, coreana, nepalesa, tailandesa, árabe, marroquina, do médio oriente, indiana, goesa, africana, italiana, francesa, belga, americana, israelita, alemã, grega, espanhola, mexicana, peruana e brasileira. Por fim, podes terminar a visita com as escolhas noturnas, desde os diferentes bares do bairro até a uma passagem pelas salas de cinema do Amoreiras.

Campo de Ourique é o único Bairro que conheço que tem turistas da própria cidade de Lisboa, que aqui se deslocam para fazer compras neste imenso Centro Comercial de Ar Livre ou para frequentar a sua restauração. Imperdível por quem passa por Lisboa, imperdível para ti.

Espero ter-te esclarecido um pouco mais sobre este que considero o meu cantinho do Paraíso, despeço-me com o carinho do costume, com um beijo, o mesmo de sempre,

Gil Saraiva

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub