Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Carta à Berta

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta: Os "Cabrones" de "Monteros de la Cabra" - Montaria da Azambuja - Parte III/III

Berta 423.jpg

Olá Berta,

Finalizo hoje a narrativa sobre a “Montaria da Herdade da Torre Bela”. Se queres saber, minha amiga, sinto dificuldades para qualificar todo o comportamento da empresa organizadora, dos caçadores envolvidos e dos demais participantes. É tudo tão dantesco e inverosímil que me faltam os adjetivos corretos para comentar o que foi perpetrado por estes “Cabrones”.

Até a desculpa que apareceu nas notícias, de que por detrás de tudo isto estaria a instalação de uma central fotovoltaica na herdade, é ridícula e parece-me descabida de razão. A dita central, embora se possa tratar de uma instalação de grande monta, apenas iria ocupar 10% da área da Herdade da Torre Bela. Bastaria para a sua instalação vedar o acesso aos animais a este bocadinho de terreno, se considerarmos a dimensão total da área da propriedade, até porque o desbaste vegetal já se encontrava efetuado e devidamente concluído.

A suspensão da licença de instalação da central, por parte do Governo, cheira a poeira nos olhos e (embora reconheça que posso estar enganado) faz-me querer que o Estado sabia mais do que quer fazer parecer sobre a dita montaria. Vir desta forma tapar o Sol com a peneira, deixa-me com comichões que sinceramente preferia não estar a sentir neste momento. Talvez seja apenas impressão minha.

O que é certo é que tal como quando nasce, o Sol quando se põe também devia ser para todos, e não para decorar o ambiente em torno do vangloriar de bestas ignóbeis que aproveitam o ocaso para fotografias de macabros troféus de caça, para gaudio dos seus umbigos.

É com um sentimento de profunda revolta que sinto a mesma abjeção quando oiço o alegadamente idiota e líder do PAN, um tal de André Silva, a tentar montar na montaria com o fim de dela se servir para a sua exagerada e absurda defesa dos direitos dos animais. Basta ver a proposta feita na Assembleia da República através de projeto-lei da deputada não-inscrita Cristina Rodrigues, que saiu do PAN este ano, que pretende alterar o Código do Trabalho de forma a alocar sete dias de faltas justificadas à prestação de "assistência inadiável e imprescindível em caso de doença ou acidente" a animais de estimação, bem como um dia adicional de direito ao luto pelo falecimento do companheiro animal.

Como toda esta temática me enerva, termino, por já ter dito o bastante. Despede-se com carinho, este teu amigo que estará sempre ao teu dispor, se para isso for necessário, com um beijo saudoso,

Gil Saraiva

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub