Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Carta à Berta / Desabafos de um Vagabundo / Miga, a Formiga / Estro

A partir de julho de 2022 os blogs do Senhor da Bruma, assinados por Gil Saraiva, são reunidos em "alegadamente". Os blogs: Estro (poesia), gilcartoon (cartoons) e Desabafos de um Vagabundo (plectro) passam a integrar este blog. Obrigado.

A partir de julho de 2022 os blogs do Senhor da Bruma, assinados por Gil Saraiva, são reunidos em "alegadamente". Os blogs: Estro (poesia), gilcartoon (cartoons) e Desabafos de um Vagabundo (plectro) passam a integrar este blog. Obrigado.

Carta à Berta n.º 587: S.O.S. - Incêndios!

Berta 587.jpg Olá Berta,

Eu sei que a vaga de calor de 2022 é, até ao momento, atípica, relativamente a anos anteriores. Não é apenas o calor que bate recordes, a terra, por seu lado, esta absolutamente ressequida, o país encontra-se, quase na sua totalidade, em seca extrema, falta água em todo o lado e, para tornar tudo verdadeiramente complicado, quase não há humidade no ar, raramente esta ultrapassa os 25% e o vento parece teimar em aparecer quando não faz cá falta nenhuma.

Porém, se os incendiários em Portugal, em vez de serem julgados e depois castigados com penas suspensas, fossem julgados como assassinos, na melhor das hipóteses, por tentativa e negligência (chega Pedrogão Grande para me fazer entender), estando a coberto de uma moldura penal, enquanto potenciais assassinos e levando penas efetivas de prisão superiores a dez anos, a crise seria muito, mas muito menor.

Estes indivíduos dão-nos cabo da paisagem, põem imensas vidas em risco, quando não as ceifam, diminuem gravemente recursos naturais, já por si escassos, e são tratados como delinquentes menores por uma justiça que pouco faz, enquanto que, se o incêndio fosse em sua própria casa, os olharia de outro modo bem diferente.

Para estes juízes picante na língua dos outros é refresco. Todavia, no entretanto, destroem-se propriedades, desfeia-se a paisagem, destroem-se recursos naturais, aniquilam-se poupanças de uma vida de um sem-número de famílias, geram-se pânicos pelo interior do país, colocam-se bombeiros e outros profissionais em risco de vida e os maiores culpados, quando são apanhados, são tratados com paninhos quentes em vez de serem julgados como perigosos criminosos, que é o que eles são.

Sou, querida Berta, totalmente contra este estado de coisas. Ainda por cima porque o SIRESP já “sirespa” e a Proteção Civil já protege. Contudo, há situações em que a lei tem de mudar se queremos sentir que vivemos numa sociedade justa. No presente estado da Justiça Portuguesa, esta premeia este tipo de criminoso, enquanto todo o país sofre com isso. Não é o único caso em que a falta de uma justiça verdadeira se faz sentir, mas se há que começar por algum lado, caramba, que se comece já por aqui. Despeço-me com um beijo de saudades, este teu amigo de sempre,

Gil Saraiva

 

 

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Em destaque no SAPO Blogs
pub