Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Carta à Berta

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta: Livro - O diário Secreto do Senhor da Bruma - Os Primeiros Apontamentos - I.4

Berta 249.jpg

Olá Berta,

Na verdade, respondendo às tuas questões sobre o “Diário Secreto do Senhor da Bruma”, este é realmente um somatório daquilo que me chama a atenção numa ou noutra situação pela qual eu vou passando.

Muitas vezes ficam omissas as razões desta ou daquela observação, apontamento, pensamento ou raciocínio, mas também não é esse o objetivo de algo que se escreve só para nós mesmos e que, a dada altura, resolvemos partilhar com mais alguém.

Contudo, está à vontade para colocares todas as dúvidas que tiveres sobre seja o que for que eu por aqui escreva. Não terei qualquer problema em te esclarecer. Voltemos, pois, à nossa temática:

----- " -----

I

Os Primeiros Apontamentos (continuação I-4)

 

Janeiro, dia 25:

Desconfinado (a):

  • Aquele indivíduo que regressa ao convívio social. Importa salientar que, como no caso contrário, o seu uso é indevido nos antónimos inapropriados da palavra de que deriva. Como esclarecimento adicional também se clarifica que, em caso algum, a palavra pode indicar “aquele que tirou algo do rabo”.

Janeiro, dia 26:

Confinamento:

  • Designação que indica o ato de estar confinado (já explicado).

Desconfinamento:

Designação que indica o ato de deixar de estar confinado (já explicado).

Reconfinar:

  • Voltar a repetir, de forma involuntária, mas legalmente exigível, o ato de confinamento já efetuado em, pelo menos, uma situação anterior. Nunca se aplica a expressão para se explicar uma qualquer reintrodução anal.

Reconfinamento:

  • Voltar à situação anterior de Confinamento. Mais uma vez se esclarece que não se trata de ajustar qualquer tipo de pacote num local onde este já esteve de forma apertada e claustrofóbica.

Janeiro, dia 27:

André Ventura:

  • Nome como é socialmente tratado um político de direita português, erradamente utilizado para significar ignorante, estúpido, cretino, falso, vira-casacas, idiota, fascista, homossexual não assumido e preconceituoso para com os seus semelhantes, entre outros impropérios vários, que, nalguns casos, entram no domínio do palavrão.
  • Etimologicamente, nenhuma destas 2 palavras, nem mesmo enquanto conjugadas por esta ordem (André Ventura), têm qualquer pista na sua génese que justifique a sua associação aos referidos classificativos. Pelo que, daí se conclui que o seu uso é por demais indevido no contexto onde tem aparecido aplicado.
  • Tanto assim é que chamar de “André Ventura” a um paciente com trissomia 21 pode ser considerado um insulto, principalmente, para o individuo portador dessa terrível deficiência genética ou malformação por qualquer problema desse teor.
  • Contrariamente a algumas teses, a expressão ou nome composto “André Ventura” também não se refere a qualquer tipo de troglodita ou mesmo de um género de vírus, bactéria ou a uma específica espécie de excremento malcheiroso, especialmente desagradável.

Janeiro, dia 28:

CHEGA:

  • Escrito assim, só com maiúsculas, designa o nome de um partido político português com representação parlamentar, cuja sigla adotada é CH.
  • Neste caso concreto convém esclarecer que a palavra não significa o mesmo que a homónima “chega” que é uma expressão usada para mandar parar uma ação ou para fazer calar, não sendo, no caso concreto sinónima de basta;
  • Nem tem nada a ver com a conjugação do verbo chegar, indicativo de alguma deslocação ou mobilidade de um determinado local para outro.
  • Independentemente de outras fontes, que desconheço, não existe qualquer confirmação, que se possa considerar provada ou verdadeira, que a palavra possa igualmente significar: um bando de populistas, malfeitores e de gente sem caráter ou que até seja utilizada como sigla para uma congregação de racistas, xenófobos, machistas, homofóbicos e fascistas;
  • Também me parece totalmente falsa a afirmação de que o uso deste nome pode ocultar uma aglomeração de vigaristas, oportunistas, mentirosos e cretinos, com ares de supremacia seja de que espécie for.
  • Igualmente está por provar que represente, de alguma forma, os inadaptados, os revoltados, os invejosos, os filhos de pai incógnito, os pedófilos, os sádicos, os totalmente idiotas e os torturadores, bem como alguns assassinos, sendo, no meu entender, perfeitamente legitimo que este partido possa interpor toda e qualquer ação judicial sempre que indicações deste tipo, se não comprovadas, possam ser, de alguma forma, a si associadas.

 ----- " -----

Ena, ena, já ia por aqui lançado nestas definições, entusiasmado com a temática. Peço perdão, amiga Berta. Despede-se este teu bom amigo, com um beijo repimpado e sorridente, que só pode ser entregue à distância de uma carta, sempre pronto para o que possas necessitar, feliz pela presente amizade,

Gil Saraiva

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub