Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Carta à Berta

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta: Ando a Pensar em Morrer...

Berta 200.jpg

Olá Berta,

Esta é a minha carta número 200 para ti e estamos quase a fazer 7 meses de correspondência. Será que ainda não estás farta de me ler? Se e quando isso acontecer espero que me avises para eu parar. Detestaria estar a ser um chato em vez de um amigo. Hoje vou enviar-te uma lista sobre o que pensei relativamente à minha morte algures num futuro que há de chegar.

Ando a pensar em morrer, mas preciso de uma maneira original:

  1. Não consigo morrer com dignidade porque não existe dignidade em morrer.
  2. Não consigo morrer de tédio a ver programas políticos na televisão.
  3. Não consigo morrer de prazer até porque ia querer sempre mais um bocadinho...
  4. Não consigo morrer a rir porque não teria graça nenhuma.
  5. Não consigo morrer na banheira porque sou dos que só toma duche.
  6. Não consigo morrer a comer porque não aceito morrer a fazer algo de que gosto.
  7. Não consigo morrer de velhice porque ainda não cheguei lá.
  8. Não consigo morrer estúpido por motivos óbvios.
  9. Não consigo morrer na praia porque seria um desperdício.
  10. Não consigo morrer famoso, mas isso é por falta de cunhas.
  11. Não consigo morrer queimado por ser uma morte estúpida.
  12. Não consigo morrer com depressão pois a troika já passou.
  13. Não consigo morrer de saudades porque depois não tinha como as matar.
  14. Não consigo morrer de frio porque prefiro o calor.
  15. Não consigo morrer afogado porque aprendi cedo a nadar.
  16. Não consigo morrer no anonimato porque sei bem quem sou.
  17. Não consigo morrer bêbado porque depois não me ia lembrar que morri.
  18. Não consigo morrer de morte macaca uma vez que não sou símio.
  19. Não consigo morrer de fome porque adoro comer.
  20. Não consigo morrer por dentro porque ninguém ia saber.
  21. Não consigo morrer pobre porque leva demasiado tempo.
  22. Não consigo morrer rico, mas a ideia parece-me bem.
  23. Não consigo morrer pobre porque tenho uma rica imaginação.
  24. Não consigo morrer como um homem porque ficaria a parecer que não o era.
  25. Não consigo morrer de medo até porque tenho medo de morrer.
  26. Não consigo morrer por morrer porque não faria sentido.
  27. Não consigo morrer doente porque a morte seria o fim da doença.
  28. Não consigo morrer de confinamento porque adoro a minha solidão.
  29. Não consigo morrer de Covid-19, porque detesto ser apenas mais um.
  30. Acho que consigo morrer de amores porque amor só pode haver um.

Com esta minha lista deveras revolucionária me despeço de ti com amizade e um beijo,

Gil Saraiva

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub