Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Carta à Berta

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta é o local dos Desabafos de um Vagabundo, do Senhor da Bruma, essa bruma a que chamam de internet, de um Haragano, o Etéreo, qual cavalo selvagem que galopa entre cartas alegadamente, quiçá, sem fundamentos.

Carta à Berta: A Libertadores é de Jesus

Jorge Jesus.jpg

Olá Berta,

Deves estar, como eu, satisfeita com o nascimento e ascensão aos céus de mais um herói nacional, desta vez não aqui no nosso pequeno burgo, mas pelas paisagens imensas das terras de Vera Cruz.

Jesus é louvado pela imensidão de gente rubro negra que parece ter invadido o Brasil. Para onde quer que ele vá, será seguido por muitos e muitos anos por essa massa gigantesca de fãs que lhe reconhecem a audácia de um verdadeiro “Mister”, e que só não o naturalizaram já, porque a pronúncia do mesmo dificulta a confusão.

O Brasil é hoje terra de um povo libertado depois de 38 de um Flamengo sem ganhar a Taça dos Libertadores. Nem mesmo o pulmão amazónico, a definhar a olhos vistos, parece calar o pulmão recém-nascido de uma gente imensa, de milhões e mais milhões, que canta bem alto a palavra vitória, enaltecendo com rubor as faces pálidas de um homem da Amadora, que quis a sorte chamar-se Jesus.

Jorge Jesus vai voltar ao velho continente com o “Brasileirão” ganho e a Taça dos Libertadores debaixo do braço. Volta, porque para ser eternizado não pode manter-se no posto e fazer menos do que acabou de alcançar. Volta, porque a demanda disparou na Europa. Já se fala que o querem em Inglaterra e há quem diga que ele será o próximo treinador do Barcelona. Volta, porque quer ser lembrado eternamente.

Volta, para pena minha, que preferia vê-lo a representar a nossa bandeira fora do país. Eu admiro o Jesus que conseguiu vingar no Brasil, aplaudo e incentivo esse Jesus, porém, sou dos que continuam a achar que ele não devia, jamais, regressar ao Benfica. Há os que me recordam que ele ganhou 3 campeonatos pelo clube, mas eu sou dos que pensa que ele perdeu 3 campeonatos pelo Benfica e mais a final de uma Taça UEFA.

Contudo, este meu raciocínio não tira qualquer mérito ao treinador. Apenas não me agrada ver um iletrado a liderar a minha equipa, o que muito provavelmente tem a ver com o facto de eu me considerar um intelectual. Manias de um Gil, minha querida Berta, preocupado não apenas com o conteúdo, mas também com a forma, de quem lidera o seu clube de coração.

Se o homem for realmente para o Barcelona vou torcer por ele com todas as minhas forças, exatamente como o fiz no Brasil. A simplicidade do treinador faz escola, tem o seu mérito e não lhe deveria ser pedido, nem por mim, que vire Camões ou que tenha o dom da oratória e a cultura geral de um Lobo Antunes. Todavia, eu sou assim, prefiro o herói fora de portas. Talvez o defeito seja meu, não digo que não, mas o que importa é que a saga de Jorge Jesus se mantenha viva, levando consigo o nome de Portugal. Afinal, ninguém lhe pede uma pós-graduação em gramática para que seja um treinador de nível 4, cujo sucesso anda agora perto do 10.

Regressando aos feitos conseguidos pelo herói no Brasil, penso que se passarão muitos anos até que um outro português o consiga repetir naquelas paragens. E, mesmo assim, jamais será igual, porque Jesus o fez primeiro que todos com a garra de um puro Lusitano, nos últimos minutos virando uma desvantagem, na reviravolta da glória de um jogador, um tal de Gabigol. É assim que se escreve história.

Desejo que Jesus continue o seu galope, de crina prateada ao vento, em gestos gritados para dentro de um campo de flores sem tempo. Desejo-lhe felicidades e vitórias, desejo-lhe boa sorte.

Despeço-me, minha querida Berta, saudoso, este amigo que não te esquece,

Gil Saraiva

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub